O câncer de mama representa a principal causa de morte por câncer em mulheres brasileiras e constitui um grande problema de saúde pública em todo o mundo.

Há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. 

Será que você apresenta fatores de risco para desenvolver câncer de mama? 

A idade é um dos mais importantes fatores de risco, porém há outros que aumentam o risco da doença, como:

– Obesidade;
– Sobrepeso após a menopausa;
– Sedentarismo;
– Consumo de bebida alcoólica;
– Primeira menstruação antes de 12 anos;
– Menopausa após os 55 anos;
– Não ter tido filhos; 
– Primeira gravidez após os 30 anos;
– Contraceptivos hormonais;
– Reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos;
– História familiar de câncer de ovário;
– Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
– História familiar de câncer de mama em homens;
– Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.
* A presença de um ou mais fatores não significa que a mulher necessariamente terá a doença.

O que pode ser feito para reduzir o risco?

Alimentar-se de forma saudável; manter o peso corporal adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentar e evitar uso de hormônios sintéticos.

Detecção precoce é o mais importante.

O rastreamento mamográfico é recomendado para as mulheres após os 40 anos, já o rastreamento complementar com ultrassonografia deve ser considerado para as mulheres com mamas densas. Além disso as mulheres devem ser estimuladas a conhecer o que é e o que não é normal em suas mamas, sabendo que a maior parte dos cânceres de mama é descoberto por elas próprias. 

Como é feito o diagnóstico?

Além do exame clínico das mamas, exames de imagem como ultrassonografia, mamografia ou ressonância magnética. A confirmação diagnóstica, porém, é feita por meio da biópsia, que consiste na retirada de fragmentos do nódulo e encaminhamento para análise de um patologista.

Quais são os tratamentos?

Muitos avanços vêm ocorrendo no tratamento do câncer de mama e depende do tipo e da fase que a doença se encontra (estadiamento). Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo).

Cuide-se, para você ficar bem!

Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste
Régis Vinicius de Andrade Silva – Médico Radiologista  CRMSC 19212 | RQE 13361
Diretora técnica – Katia Bugs – médica – CRM 10375 – Nefrologista – RQE 5333